O seu navegador necessita de suporte Javascript para esta funcionalidade.
20 de Setembro de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.
  • Exposição Permanente
  • Bracara Augusta e o Império Romano

Bracara Augusta e o Império Romano

Aspecto da Sala "Bracara Augusta e o Império Romano". À direita o núcleo das importações e ao fundo à esquerda a produção local cerâmica.O primeiro contacto entre os bracari e os romanos deu-se entre 138-136 a.C., no âmbito de expedições de reconhecimento militar.
Desde então, e até à fundação da cidade de Bracara Augusta (16-15 a.C.), esta região viveu um clima de paz que favoreceu o desenvolvimento, pelo que o comércio em grande escala, proporcionado pela integração no Império romano, abriu novas oportunidades de expansão e negócio. 
Destaque para a qualidade das peças cerâmicas produzidas localmente, algumas delas imitando de forma perfeita peças importadas. A abundância e a qualidade dos barreiros desta região propiciaram o desenvolvimento da olaria até à actualidade.

  • A integração do Noroeste Peninsular no Império Romano e o comércio a longa distância.

  • A circulação monetária nesta região iniciou-se no período de Augusto, com as moedas designadas de caetra, emitidas durante a guerra contra Astures e Cântabros, provavelmente, entre 27-23 a.C..
  • A posição geo-estratégica de Bracara Augusta, como importante mercado, desde cedo favoreceu a fixação de artesãos e o desenvolvimento de oficinas especializadas na manufactura de produtos ligados à olaria, à metalurgia, à produção de vidro e aos têxteis.