Estas aras e epígrafes mostram o reconhecimento individual, por graças concedidas, a divindades indígenas, a deuses do panteão clássico romano e, mesmo, de origem oriental, como Ísis.