Aspecto das ruínas em blocos de granito da cloaca romana preservada no interior da Biblioteca.As escavações realizadas neste espaço puseram a descoberto um troço bem conservado de uma grande cloaca, cujo traçado coincide com um importante eixo da cidade romana, definido por uma rua com 7,5 metros de largura. Separando dois quarteirões residenciais, esta rua estava ladeada por pórticos, que se dispunham ao longo das habitações de ambos os lados da rua.

No cimo da Rua Frei Caetano Brandão e cruzamento com a Rua de S. Paulo, pode observar-se um conjunto de pilares almofadados em granito que definiam o porticado poente da rua e que testemunham o cruzamento sul das duas principais ruas de Bracara Augusta: o decumanus maximus (leste-oeste) e cardus maximus (sul-norte).
A cloaca está definida por dois muros paralelos e coberta por grandes lajes dispostas horizontalmente; nalguns locais a estrutura atinge a altura de 1,60 metros, sendo visíveis ao longo das paredes bocas de outros esgotos que nela vinham desaguar.

Das ruínas descobertas, foram integradas no imóvel a cloaca da época de Augusto (séc. I) e vestígios de uma rua medieval (a Rua Verde) que se sobrepôs ao tramo sul do antigo cardus maximus.