Aspecto do monumento megalítico de Lamas, vendo-se a anta no interior da mamoa.Descoberto em Fevereiro de 1993, foi alvo de escavação arqueológica, sob a responsabilidade científica do Dr. Eduardo Jorge L. Silva, da Universidade Portucalense.
Do ponto de vista cronológico, este monumento se situa-se no período Neolítico, podendo apontar-se-lhe uma cronologia de cerca de 3000 anos antes de Cristo.
Trata-se do único monumento megalítico deste tipo conhecido e estudado nos arredores de Braga. O monumento em si mesmo representa uma mais valia para a arqueologia local, não só pela sua tipologia, como pelo espólio que dele proveio e que é do maior interesse em termos científicos e didácticos.
O espólio recolhido é de grande interesse, caracterizando-se pela sua abundância, qualidade e raridade, com destaque para os materiais líticos, onde predominaram as pontas de seta e alguns micrólitos. O monumento possuía alguns esteios pintados, mas, por razões que se prendem com a sua preservação, os mesmos foram retirados e devidamente tratados para que não se percam os vestígios da pintura.

Este monumento possuiria uma mamoa de médias dimensões, cobrindo um dólmen com corredor, de cuja estrutura restaram três lajes in situ, encontrando-se as outras espalhadas sobre as terras da mamoa.
Na sequência da investigação realizada na Mamoa de Lamas, este monumento foi preservado e valorizado, assim como foi instalado, na Sede da Junta de Freguesia, um pequeno Núcleo Museológico.